Calendário Nacional de Vacinação

O Calendário Nacional de Vacinação é um plano abrangente que descreve as vacinas recomendadas e o calendário para pessoas em um determinado país ou região. 

Este cronograma é projetado para proteger contra uma ampla gama de doenças evitáveis ​​por vacinação e é desenvolvido por especialistas em saúde pública em colaboração com agências governamentais. O Calendário Nacional de Vacinação é uma ferramenta essencial na luta contra as doenças infecciosas, pois garante que as pessoas recebam as vacinas necessárias no momento certo para se protegerem e à população em geral.

Seguir o Calendário Nacional de Vacinação (NIS) é crucial para pais e cuidadores, pois fornece um guia claro e confiável para as necessidades de imunização de seus filhos. É importante observar que o NIS pode variar de acordo com o país ou região e pode estar sujeito a alterações com base nas atualizações das recomendações de vacinas ou alterações na prevalência de certas doenças.

Portanto, é recomendável que as pessoas se mantenham atualizadas sobre o Calendário Nacional de Imunização (NIS) de seu país ou região e discuta suas necessidades de imunização com seu médico.

Neste artigo, você aprenderá mais sobre o Calendário Nacional de Vacinação, sua importância e seus componentes. Você também aprenderá o cronograma de imunização para crianças, o cronograma de imunização de Ontário e os benefícios do cronograma nacional de imunização.

O que é Calendário Nacional de Vacinação (NIS)

O Calendário Nacional de Vacinação é um programa abrangente desenvolvido por agências de saúde pública para fornecer uma série recomendada de vacinas à população em geral. É um plano padronizado que descreve as vacinas específicas recomendadas para diferentes faixas etárias, o cronograma recomendado para a administração dessas vacinas e os intervalos recomendados entre as doses.

O NIS é projetado para garantir que as pessoas recebam as vacinas necessárias no momento apropriado para protegê-las de uma variedade de doenças infecciosas.

O Calendário Nacional de Vacinação é crucial para a saúde pública, pois ajuda a prevenir a propagação de doenças infecciosas. As vacinas são uma forma segura e eficaz de proteger as pessoas de doenças prejudiciais, e o NIS garante que todos recebam as vacinas recomendadas no momento apropriado.

Isso não apenas protege o indivíduo, mas também ajuda a proteger a comunidade como um todo. Quando uma grande parte da população é vacinada, a propagação da doença é reduzida e os surtos podem ser evitados.

O Calendário Nacional de Vacinação também é importante para proteger populações vulneráveis, como crianças pequenas e idosos, que podem estar em maior risco de contrair doenças graves causadas por doenças evitáveis ​​por vacinação. No geral, o NIS desempenha um papel crítico na manutenção da saúde pública e na prevenção da propagação de doenças infecciosas.

Relacionado: Papel dos Enfermeiros na Promoção da Imunização de Adultos

Componentes do Calendário Nacional de Vacinação:

Existem diferentes componentes do Calendário Nacional de Imunizações a serem observados, estes são.

Vacinas recomendadas

O Calendário Nacional de Vacinação fornece uma lista de vacinas recomendadas que as pessoas devem receber em diferentes fases de suas vidas. Essas vacinas são selecionadas com base no risco potencial de exposição a uma doença específica, na gravidade da doença e na eficácia da vacina.

As vacinas comuns recomendadas para crianças incluem sarampo, caxumba e rubéola (MMR), poliomielite e vacina contra a gripe. As vacinas recomendadas para adultos podem incluir a vacina contra a gripe, o reforço contra o tétano e a vacina contra herpes zoster.

Idades recomendadas para a vacinação

O NIS também fornece orientações sobre as idades recomendadas para a vacinação. Isso garante que as pessoas recebam as vacinas no momento ideal para máxima eficácia.

Por exemplo, recomenda-se que as crianças recebam a vacina MMR entre 12-15 meses de idade e a segunda dose entre 4-6 anos de idade. A vacina contra o HPV é recomendada para crianças de 11 a 12 anos. Recomenda-se que os adultos recebam o reforço antitetânico a cada 10 anos e a vacina contra herpes zoster aos 50 anos de idade.

Intervalos e horários de vacinação:

O Calendário Nacional de Vacinação também orienta os intervalos e horários apropriados para a administração de vacinas. Isso ajuda a garantir que as pessoas recebam todos os benefícios da vacina e que a imunidade fornecida pela vacina seja mantida ao longo do tempo.

Por exemplo, a vacina contra a gripe é recomendada para ser administrada anualmente, enquanto a vacina tríplice viral é recomendada para ser administrada em duas doses com pelo menos 28 dias de intervalo.

Exceções e recomendações especiais:

O NIS também inclui recomendações especiais para determinadas populações ou pessoas com condições médicas específicas.

Por exemplo, pessoas com sistema imunológico enfraquecido podem precisar de doses adicionais de certas vacinas ou esquemas alternativos. Recomenda-se que as mulheres grávidas recebam a vacina contra a gripe e a vacina Tdap para proteger a mãe e o bebê recém-nascido.

Além disso, as pessoas que viajam para determinadas regiões podem precisar de vacinas adicionais para se proteger contra doenças prevalentes naquela área.

Cronograma de imunização para crianças

O calendário de imunização infantil, ou calendário de vacinas infantis, é a lista de vacinas comuns que o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) recomenda que a maioria das crianças receba.

A imunização é uma forma de proteger seu filho contra muitas infecções e doenças diferentes. Muitas dessas doenças se espalham facilmente de criança para criança e podem causar sérios problemas de saúde. Eles podem até causar a morte.

O cronograma de imunização para crianças pode variar ligeiramente de acordo com o país ou região, mas as vacinas e o cronograma recomendados geralmente seguem as diretrizes definidas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e pelos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) nos Estados Unidos. A seguir, um esboço geral do esquema de imunização recomendado para crianças nos EUA:

Nascimento até 2 meses

  • Vacina contra hepatite B (primeira dose)

de 2 meses

  • Vacina DTaP (difteria, tétano e coqueluche)
  • Vacina IPV (poliovírus inativado)
  • Vacina PCV13 (conjugada pneumocócica)
  • Vacina RV (rotavírus)
  • Hib

Veja também: 6 estratégias de controle da dor para aliviar o desconforto em pacientes de cuidados paliativos

de 4 meses

  • Vacina DTaP (difteria, tátano e coqueluche acelular)
  • Vacina IPV (segunda dose)
  • Vacina PCV13 (segunda dose)
  • Vacina RV (segunda dose)
  • Hib (Haemophilus influenza tipo B)

de 6 meses

  • Vacina DTaP (terceira dose)
  • Vacina PCV13 (terceira dose)
  • Vacina RV (terceira dose)
  • Vacina contra a gripe (anualmente)
  • Hib

6-18 meses (conforme necessário)

  • Vacina contra hepatite B (se ainda não tiver sido recebida)
  • IPV

de 12 meses

  • Hepatite A

12-15 meses

  • Vacina Hib (Haemophilus influenzae tipo b)
  • Vacina tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola)
  • Vacina PCV13 (quarta dose)
  • Vacina VAR (varicela ou varicela)

15-18 meses

  • Vacina DTaP (quarta dose)

18 - 23 meses

Vacina HepA (hepatite A)

anos 4-6

  • Vacina DTaP (quinta dose)
  • Vacina IPV (terceira dose)
  • Vacina tríplice viral (segunda dose)
  • Vacina VAR (segunda dose)

anos 11-12

  • Vacina contra o HPV (papilomavírus humano) – série de duas ou três doses
  • Vacina MenACWY (meningocócica)
  • Reforço de Tdap (reforço de tétano, difteria e coqueluche acelular)

anos 16-18

  • Vacina MenB (meningocócica B)

É importante ressaltar que esta é uma diretriz geral, e o calendário de imunização pode ser ajustado com base em fatores individuais, como estado de saúde, planos de viagem e risco de exposição a determinadas doenças.

Recomenda-se que os pais discutam o esquema de imunização de seus filhos com o profissional de saúde para garantir que recebam as vacinas apropriadas no momento certo.

Programa de imunização de Ontário

O Calendário de Imunização de Ontário descreve as vacinas recomendadas e o cronograma para pessoas de todas as idades que vivem em Ontário, Canadá. O cronograma é desenvolvido pelo Ministério da Saúde e Cuidados de Longo Prazo de Ontário em colaboração com especialistas em saúde pública e é projetado para proteger contra uma série de doenças evitáveis ​​por vacinação.

O Calendário de Vacinação de Ontário para crianças inclui as seguintes vacinas e calendário:

de 2 meses

  • Vacina DTaP-IPV-Hib (difteria, tétano, coqueluche, poliomielite e Haemophilus influenzae tipo b)
  • Vacina PCV13 (conjugada pneumocócica)
  • Vacina contra rotavírus

de 4 meses

  • Vacina DTaP-IPV-Hib (segunda dose)
  • Vacina PCV13 (segunda dose)
  • Vacina rotavírus (segunda dose)

de 6 meses

  • Vacina DTaP-IPV-Hib (terceira dose)
  • Vacina PCV13 (terceira dose)
  • Vacina rotavírus (terceira dose)

de 12 meses

  • Vacina tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola)
  • Vacina PCV13 (quarta dose)
  • Men-CC (conjugado meningocócico)

de 15 meses

  • Vacina contra varicela (catapora)

de 18 meses

  • Vacina DTaP-IPV-Hib

anos 4-6

  • Vacina DTaP-IPV (quinta dose)
  • Vacina tríplice viral (segunda dose)
  • Vacina contra varicela (segunda dose)

Grade 7

  • Vacina contra o HPV (papilomavírus humano) – série de duas doses
  • Vacina MenACWY (meningocócica)
  • Vacina contra hepatite B

anos 14-16

  • Vacina Tdap

adultos

  • Vacina da gripe
  • Vacina contra tétano e difteria (Td)
  • Vacina Pneu-P-23 (Pneumocócica polissacarídica)

65 – 70

  • Vacina contra herpes

É importante observar que o Calendário de Vacinação de Ontário pode estar sujeito a alterações com base nas atualizações das recomendações de vacinas ou alterações na prevalência de certas doenças. Recomenda-se que as pessoas discutam suas necessidades de imunização com seu médico para garantir que estejam em dia com suas vacinas.

Benefícios do Calendário Nacional de Vacinação

Aqui estão os benefícios do NIS.

Proteção contra doenças infecciosas

O Calendário Nacional de Vacinação protege contra uma variedade de doenças infecciosas, incluindo sarampo, caxumba, rubéola, poliomielite, tétano e gripe. As vacinas funcionam estimulando o sistema imunológico a produzir anticorpos que combatem vírus ou bactérias específicos.

Ao receber as vacinas recomendadas, as pessoas ficam protegidas de contrair essas doenças ou de sofrer complicações graves se forem infectadas. Isso não apenas beneficia o indivíduo, mas também ajuda a reduzir a propagação de doenças na comunidade.

Relacionado: Turismo médico na Tailândia

Redução de custos com saúde

As vacinas são uma forma econômica de prevenir a propagação de doenças infecciosas. Ao reduzir a incidência de doenças evitáveis ​​por vacinação, o NIS pode reduzir a carga sobre os sistemas de saúde e evitar a necessidade de tratamentos caros ou hospitalizações.

Por exemplo, nos Estados Unidos, a vacina contra a gripe demonstrou reduzir o número de hospitalizações e consultas médicas relacionadas à gripe, resultando em economia significativa de custos para as pessoas e para o sistema de saúde como um todo.

Prevenção de surtos

Quando uma grande parte da população é vacinada, a propagação de doenças infecciosas é reduzida e os surtos podem ser evitados. Isso é conhecido como imunidade de rebanho. Ao seguir o NIS, as pessoas não apenas se protegem, mas também contribuem para a saúde geral da comunidade, evitando a propagação de doenças.

Isso é particularmente importante para populações vulneráveis, como bebês, idosos e pessoas com sistema imunológico enfraquecido, que podem não ser capazes de receber certas vacinas ou podem estar em maior risco de complicações graves de doenças evitáveis ​​por vacinação.

Proteção de populações vulneráveis

O NIS é projetado para proteger populações vulneráveis ​​de doenças infecciosas. Por exemplo, recomenda-se que os bebês recebam a vacina contra hepatite B logo após o nascimento para protegê-los de contrair a doença de sua mãe.

Recomenda-se que os adultos mais velhos recebam a vacina contra herpes-zóster para prevenir a doença dolorosa e debilitante que pode ocorrer como resultado da reativação do vírus varicela-zoster. Ao proteger essas populações vulneráveis, o Programa Nacional de Vacinação ajuda a melhorar sua saúde e bem-estar geral.

Conclusão

Em conclusão, o Calendário Nacional de Vacinação desempenha um papel crítico na proteção de pessoas e comunidades contra doenças infecciosas. Seguindo as vacinas e o cronograma recomendados, as pessoas podem ajudar a prevenir a propagação de doenças e manter uma boa saúde. É essencial que as pessoas conheçam o Calendário Nacional de Vacinação do seu país ou região e discutam as suas necessidades de imunização com o seu prestador de cuidados de saúde.

Escolhas dos editores

Turismo Médico na Índia

O que é Rocenta; ingredientes, benefícios, características, custo